segunda-feira, 7 de junho de 2010

C

Não sei se deveria dizer alguma coisa. Não sei como serão as coisas depois que nos tornamos reais um para o outro. Ou nada disso é real? Pode ser... Só sei que nos encontramos numa rua. Logo em seguida, em qualquer lugar. E eu, sem me dar conta, acabei me perdendo várias vezes nos seus olhos, nos seus braços e em suas mãos. Você não precisa ter vergonha delas... encaixaram perfeitamente nas minhas. O bar tinha sofás bonitos. A música e os drinks não eram legais. Me senti confortável de alguma forma. As músicas não me interessavam, nem os drinks, nem os vidros coloridos. Mas um estranho sentou ao meu lado e me fez esquecer do que se passava em volta... Tudo como tem que ser. Tudo natural, assim.
Não sei se estávamos em ótimas condições de nos encontrar. Não sei se conversamos sobre coisas normais que as pessoas geralmente costumam conversar. Só sei que senti um estado de paz tão grande que quase dormi no seu ombro.

2 comentários:

Leo disse...

Bom, muto bom.
isso é bom.
lindo!

Beijos, Laís.

Hakani disse...

Tem coisas que são simples assim, não é?

Parabéns menina Laís, belos posts.

Paz