domingo, 13 de junho de 2010

loucura

Silêncio. Frio. Solidão. A madrugada chegou. Eu. Aqui. Agora. Pensando no momento exato em que mergulhei tão fundo. Não acho. Não encontro. Sem pistas. Tenho medo. Fecho os olhos. Me perco. Me culpo. Toco a campainha. Me arrependo. Desisto. Durmo.

Um comentário:

pedroeld disse...

Vi essa poesia no Espaço Carlos Gomes da Livraria Saraiva do Shopping Iguatemi Campinas (ufa terminei rs)... Passei a tarde inteira a procurando. Você conseguiu dizer tanto com tão pouco. cada uma dessas palavras fixou na minha cabeça. Muito obrigado. Desejo tudo de bom pra ti <3 - Pedro (se quiser dar uma olhada no meu blog eu agradeceria rs, não sou tão bom quanto você, mas mesmo assim...)