segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

aguardo resposta

Comecei a pensar quando foi exatamente que o sentimento parado, intacto e incomum começou a florescer. Peguei o calendário na porta da geladeira e contei os dias para trás. Qual era data? Qual era o horário? Continuei pensando nisso numa longa madrugada que durou 15 dias. E resolvi te escrever um bilhete:

''Não se assuste com a falta de palavras, às vezes o relógio as fazem de jantar. Hoje é vinte e um de fevereiro de dois mil e onze. Marcando exatamente três e treze da madrugada. Isso é apenas um bilhete com uma pergunta que deve ser respondida pela única pessoa que sabe a resposta. Aqui está: Quando foi exatamente que começamos?''

Dobrei em quatro partes e joguei no mar.

2 comentários:

thie disse...

E ainda espera uma resposta? eu gosto da surpresa e do não entender certas coisas. Quem sabe não aparece uma garrafa na sua praia.

belo texto, parabéns.
:*

Noe* disse...

Com saudade daqui,

Um beijo =*